Pessoas para tirar da sua vida #Sabrinice22

15 de jan de 2018

Já passei um pouco essa ideia em outros posts (e lá instagram também) e hoje eu resolvi ser mais direta ainda quanto a esse assunto. Existem pessoas que você pode tirar da sua vida. 

Muita gente me enxerga "radical" por ter essa ideia, mas eu posso te afirmar que não é ser radical. Pensa comigo, quando uma pessoa te faz mal (decepciona, trai, magoa, algo ruim) você tem duas opções saudáveis: 1) perdoar e seguir em frente ou 2) não perdoar, não guardar mágoa e seguir em frente. Só falei das saudáveis porque são elas que importam, vingança, rancor e sentimentos do gênero eu tô fora!

Não nego que já escolhi opções não saudáveis, mas hoje eu posso dizer que não escolho mais. O perdão é muito importante e não é um ato para fingir, se você perdoa alguém não pode se sentir do mesmo jeito quanto ao assunto/pessoa que você perdoou. Perdoar é deixar aquilo no passado, entender que foi algo ruim, mas que não te afeta mais. E por mais que a gente tente muito, às vezes não conseguimos perdoar, nesses casos eu acho melhor cada um pegar o banquinho e sair de fininho. Sem gerar mais e mais mágoas. A gente tem que saber tentar e saber a hora de parar de tentar.

O que eu posso perdoar eu vou perdoando, mas o que eu não posso eu simplesmente esqueço, mudo de calçada e não fico revivendo mais. Nada disso de desejar mal, ficar remoendo mágoas, não mesmo. Só um ponto final.

Isso é uma forma de limpar a sua vida de energias e influências negativas. Amigos/as, namorados/as, primos/as, tios/as, qualquer parente ou familiar que te faz ou fez mal, você não tem obrigação de manter essa pessoa na sua vida. A gente nasce numa família, mas nem sempre pertencemos a ela. Entende?

Com o tempo eu fui vendo que poderia ampliar essa "limpa" para o mundo virtual também. Parar de seguir pessoas que não me inspiram nada de bom, parar de seguir pessoas que tomam atitudes que eu acho absurdamente errada (gente machista e/ou preconceituosa). Não é que a gente deve viver numa bolha e só andar com gente que pensa igual, até podemos fazer isso, mas a minha ideia é andar com gente que me inspira o bem. Gente que admite preconceito e tenta perder eles, gente que admite erro, gente que acorda e fica grato por ter acordado. E cada um se cerca daquilo que quer (ou pelo menos deveria ser assim).

Um novo ano está chegando e tem algumas pessoas que você poderia deixar em 2017. Mesmo que um dia vocês retomem o contato, um tempo é sempre bom.

Já passei um pouco essa ideia em outros posts (lá instagram também) e hoje eu resolvi ser mais direta ainda quanto a esse assunto. Existem pessoas que você pode tirar da sua vida.

Muita gente me enxerga "radical" por ter essa ideia, mas eu posso te afirmar que não é ser radical. Pensa comigo, quando uma pessoa te faz mal (decepciona, trai, magoa, algo ruim) você tem duas opções saudáveis: 1) perdoar e seguir em frente ou 2) não perdoar e também não guardar mágoa. Só falei das saudáveis porque pra mim são elas que importam, vingança, rancor e sentimentos do gênero eu tô fora!

Não nego que já escolhi opções não saudáveis, mas hoje eu posso dizer que não escolho mais. O perdão é muito importante e não é um ato para fingir, se você perdoa alguém não pode se sentir do mesmo jeito quanto aquele assunto/pessoa que você perdoou. Perdoar é deixar aquilo no passado, entender que foi algo ruim, mas que não te afeta mais. E por mias que a gente tente muito, às vezes não conseguimos perdoar, nesses casos eu acho melhor cada um pegar o banquinho e sair de fininho. Sem gerar mais e mais mágoas. A gente tem que saber tentar e saber a hora de parar de tentar.

O que eu posso perdoar eu vou perdoando, mas o que eu não posso eu simplesmente esqueço, mudo de calçada e não fico revivendo mais. Nada disso de desejar mal, ficar remoendo mágoas, não mesmo. Só um ponto final.

Isso é uma forma de limpar a sua vida de energias e influências negativas. Amigos/as, namorados/as, primos/as, tios/as, qualquer parente ou familiar que te faz ou fez mal, você não tem obrigação de manter essa pessoa na sua vida. A gente nasce numa família, mas nem sempre pertencemos a ela. Entende?

Com o tempo eu fui vendo que poderia ampliar essa "limpa" para o mundo virtual também. Parar de seguir pessoas que não me inspiram nada de bom, parar de seguir pessoas que tomam atitudes que eu acho absurdamente errada (tipo uns caras machistão). Não é que a gente deve viver numa bolha e só andar com gente que pensa igual, até podemos fazer isso, mas a minha ideia é andar com gente que me inspira o bem. Gente que admite preconceito e tenta perder eles, gente que admite erro, gente que acorda e fica grato por ter acordado. E cada um se cerca daquilo que quer (ou pelo menos deveria ser assim).

Um novo ano está começando e tem algumas pessoas que você poderia deixar em 2017. Mesmo que um dia vocês retomem o contato, um tempo é sempre bom.

Não sou a Dona da Verdade, nem pretendo ser. Não quero com esse texto dizer o jeito certo ou errado de viver, é apenas uma reflexão. Me segue no instagram que eu fico lá falando essas doideiras também: @sabrinandoblog.

Obrigada por me ler e faça uma faxina!

Por: Sabrina M. Lima