4 de dez de 2017

Virgindade #Sabrinice17

Normalmente são em conversas entre amigas/os que eu decido sobre o que escrever, algum assunto surge e eu penso "putz, isso daria um bom texto". E sem mais delongas: vamo falar de primeira vez mores.

Nunca vou entender como ainda é tabu falar de sexo seja ele da primeira ou centésima vez. E meu objetivo aqui é acabar com isso começando por escrever esse post e torcendo pra você que lê entender tudinho.

Alguns pontos importantes sobre virgindade :

A virgindade não é um problema que precisa ser solucionado, ok? É algo bem simples. Pensar assim pode ser mais fácil. É só uma coisa que você ainda não fez, mas que vai fazer um dia se quiser.

Seguindo a tradição dos sabrinices e passando minha experiência pra vocês:
Acho que as pessoas fazem a famigerada tempestade em copo copinho de xarope e criam um milhão de "regras" que ninguém segue e quem segue se arrepende. "Você só pode perder a virgindade com um namorado", "você tem que esperar no mínimo x meses para transar com seu namorado", "você tem que ter x anos para transar, se passar vão achar estranho, se for com menos você está sendo precoce". Essas coisas não são ditas para os meninos. Eles podem transar sem limites, inclusive a quem os motive a atos de assédio e abusos. Nenhuma desses incentivos é certo. Respeito é tudo.

Eu não tive as neuras que muitas meninas tem. E por isso eu sei que essa é uma boa maneira de levar o assunto com simplicidade e sensibilidade. É só mais uma experiência na sua vida.

Você não tem que fazer nada que você não queira fazer. Essa é a real. Isso diminui esse papo furado em 80%. Simples: você quer? Faça. Não quer? Diga que não. Não tente agradar seu parceiro seja ele namorado, marido, ou o que for. O seu corpo é seu e fim.

Agora que já sabemos que a virgindade é algo simples, leve e natural da vida vem a parte do ato em si. A hora do "vamo vê" também tem que ser simples, leve e natural. Não faça nada forçada nem por você mesma, nem por outra pessoa. E você até pode perguntar sobre a experiência de outras mulheres, mas não ache que a sua vai ser igual.

Um dos motivos que me faz amar ser mulher é saber da complexidade que cada uma de nós tem. E com relação a sexo isso é ainda mais forte. Cada uma tem suas particularidades e não somos uma matemática de 1+1 = 2. O que funciona com uma mulher provavelmente não vai funcionar com outra. 

Existe mais uma inverdade que rola por ai de que a primeira vez não é boa nunca. Depende de muita coisa. Pode ser que uma maioria seja desajeitada ou rápida. Mas isso não define em boa ou ruim, é o que você sentiu naquele momento que vai dizer se foi boa ou ruim. Quanto a dor também é algo relativo, algumas mulheres sentem mais, outras menos, outras nada, mas qualquer dúvida pergunte a ginecologista (que também não deve ser um tabu).

Se eu pudesse dar "dicas" eu daria umas bem óbvias:
1- Não é uma aberração, então fique tranquila, até porque isso ajuda na hora.
2- Se você está com vontade não racionalize muito, sinta e parte para o abraço.
3- Se você olha pra dentro e não faz a menor ideia se quer ou não, melhor não fazer nada por enquanto e esperar a resposta (que está dentro de você) vir. Não se force a nada.

Não sou a Dona da Verdade, nem pretendo ser. Não quero com esse texto dizer o jeito certo ou errado de viver, é apenas uma reflexão. Me segue no instagram que eu fico lá falando essas doideiras também: @sabrinandoblog.

Obrigada por me ler e use camisinha!

Por: Sabrina M. Lima