Crônica de Natal

23 de dez de 2017

Tentei não chegar atrasada hoje. Cheguei atrasada.

Quebrei um prato bem no meio da sala quando ia começar a me arrumar e ai tive que varrer umas cinquenta vezes até ter certeza que não teria mais nenhum caco de vidro pra entrar no meu pé no futuro. Na hora do banho eu tive que sair do banheiro 3 vezes! Na primeira esqueci a toalha, ainda bem que ainda não tinha entrado no chuveiro. Na segunda eu percebi que tava sem sabonete, o que eu comprei estava dentro da sacola na bancada da cozinha. Daí a terceira vez alguém me interfonou por engano.

Trinta minutos depois do planejado foi que eu consegui enfim tomar um banho. Um banho daquele de princesa, ou quase né? Porque eu sabia que tinha menos tempo. Então a esfoliação foi mais ou menos e a hidratação teve que ficar menos de 10 minutos mesmo e pronto. E aí veio a roupa. Claro que eu já tinha escolhido a roupa! Mas é claro que escolhi uma roupa que amassava para cacete e é claro também que eu não tenho ferro em casa. Tive que pedir na vizinha. Então antes de pedir eu precisei vestir uma roupa para sair de casa e ir até a bendita da vizinha.

Consegui o ferro, passei a roupa e lá fui eu devolver o tal do ferro. Entrei e adivinha? Acabou a luz! Foram 5 minutos desesperadores, eu queria chorar, sério mesmo. Mas aí voltou e eu perdi uns bons 10 minutos avisando todo mundo que a luz tinha acabado, a roupa amassado, o sabonete esquecido, o interfone enganado, a toalha do lado de fora e que por isso tudo eu me atrasaria, não era falta de comprometimento dessa vez.

Consegui vestir a roupa! Minha mãe me ligou pedindo pra comprar um suco porque a Tia Cris não estava bebendo refrigerante mais. Agora sim a arte iria começar, já tinha assistido e reassistido o tutorial de make da blogueira e sabia que seria a globeleza do Natal, com muito orgulho. Mas adivinha? Meu telefone estava descarregadíssimo e precisava ficar no carregador para poder assistir ao vídeo. O lugar da tomada tinha uma luz péssima, então resolvi deixar lá carregando um pouquinho enquanto eu fazia o básico que não precisava olhar no vídeo.

Preparei toda a mesa de operação e fui lá: base, corretivo, contorno, tudo ok. Até que... Mais cinco minutos sem luz. Cinco minutos sem o celular carregar. Cinco minutos que eu perdia e me atrasaria. "Ok" pensei, "vou fazer um lanchinho". Afinal a ceia só é liberada 00h e eu estava morta de fome! Comi tudinho e voltei para o quarto. Olho no espelho e adivinha? MEU CABELO QUASE SECO! Se você não tem o cabelo cacheado, deixa eu te explicar: não dá pra finalizar ele seco. Ele precisa estar molhado, a gente passa um creminho e faz a finalização preferida que te deixa se sentindo a pessoa mais poderosa do mundo. Você deve estar pensando "mas é só molhar", sim é só molhar. Mas isso demoraria mais um tempinho. Um tempinho que eu não tinha.

Fui molhar o cabelo no chuveiro e a roupa molhou. Depois que secou ela amassou de novo. A minha cara estava completamente derretida daquele calor absurdo porque perto do espelho o vento do ventilador não chega. Fiz um esfumado-gatinho-com-cílio (ou pelo menos achei que fiz) e sai correndo porque já eram 22h30 e eu precisava comprar um maldito suco!

Brincando de fórmula 1 eu consegui chegar as 23h40. Minha mãe bufava na porta, meu pai já tinha bebido vinho demais e de barriga vazia. Tia Cris bebeu também e o suco foi para as cucuias. Minha prima ainda teve coragem de perguntar "ué Brenda, você não ia ser a Globeleza do Natal?" eu juro que quis mandar ela pra um lugar bem feio. Mas fui no banheiro, tirei o máximo de make que eu consegui (se é que a gente pode chamar aquela massaroca de make) e passei um batomzinho da mamis. Saindo do banheiro a vó falou "Brendinha eu vou te dar um ferro no próximo Natal hehehe". Valeu vovó!

Auto estima lá em cima, decepcionada com a minha falta de planejamento, porém feliz. Natal não é roupa, presente, maquiagem ou comida. É família. Fiquei destraída nesse meu pensamento tão bonito e tomada pelo espírito natalino e quando vi a ceia estava sendo ATACADA.

"TIRA A MÃO DA RABANADA AGORA GABI!" Ah, para! Eu já tinha desistido de tudo: make, cabelo, look, não ia desistir da comida também! Nem presente eu ganhei!

Por: Sabrina Lima