6 de mar de 2017

Seja sem vergonha #Sabrinice7



Oi! Se você ainda não me conhece, meu nome é Sabrina esse é o meu blog o Sabrinando e essa série "sabrinices" é só mais uma das minhas loucuras movidas pela vontade imensa de escrever e total falta de vergonha na cara. Quer dizer, nem tanto, mas vamos conversar sobre isso nesse post ok?

Antes de ir direto para o assunto do post queria perguntar algo: reparou nas mudanças? Sim o blog ta com uma carinha um pouco mais nova foi meu "presente" de um ano pra esse filho chamando sabrinando.com, SIM fiz um ano com esse blog e isso sim é vitória meus amigos. Obrigada, obrigada. Agora vamos ao post...



Eu comecei esse blog com um motivo: perder a vergonha de expor meus textos. Ok, você pode achar que eles não são muito bons, mas pra mim são todos pequenos filhinhos paridos pelos meus dedos e são muito importantes. Tenho alguns textos que eu não gosto tanto assim, mas não apago porque eles são parte de mim né.

Agora que eu compartilho meus textos sem medo (um pouquinho só vai) eu penso: por que antes eu tinha tanto, mas tanto TANTO medo? Eu sempre tive medo das críticas, mas o que elas poderiam fazer comigo? Pois é, nada. Na verdade talvez agora alguém possa ler um desses textos, ver onde está ruim e me dar aquele toque amigo cheio de simpatia. Ou alguém pode simplesmente vir e falar "nossa você não sabe escrever por que você não morre? Sua v#%@!". E eu não vou morrer por ler/ouvir nenhum dos dois comentários. Vai ficar tudo bem, porque sempre fica tudo bem se você quiser que fique.

Alguns anos atrás eu ouvi que eu era uma "gorda imensa" (olha que eu nem era, mas se fosse ninguém teria nada com isso) e eu fiquei mal com isso por anos. Ouvi que meu corte de cabelo era péssimo e que eu parecia um menino, eu também fiquei péssima. Essas pessoas que disseram isso nem ao menos devem lembrar que existo e é uma total perda de tempo que eu viva a minha vida lembrando delas. Claro que eu não vou conseguir deletar da minha memória, foram momentos ruins ma vida de uma menina de 13 anos. Mas ao olhar para trás e penso: eu não sou igual a eles. Eu sou uma pessoa muito diferente! Jamais ofenderia alguém só para ser babaca.

Não tenho vergonha de ser eu. Não tenho vergonha de expor meus textos, expor minhas inseguranças de menina, expor que esse layout pode estar cagado porque fui eu que fiz, mas e daí? Eu tentei, eu estou tentando. Estou seguindo em frente apesar dos pesares, estou tentando fazer sentindo nesse mundão louco de meu Deus. Estou tentando ser boa pra mim e para os outros. Todos os dias eu quero ser uma versão melhorada de mim e tudo bem se alguém me achar podre só por isso. Tudo bem se alguém me achar gorda, ou achar meu cabelo feio, ou minha cara feia, ou eu inteiramente feia. Tudo bem ser feio né? Quem disse que o mundo é dos bonitos? Quem disse que beleza é só externa?

Ser sem vergonha não é só falar de sexo, porque quem nunca falou de sexo entre amigos? Não ter vergonha de ser quem é, infelizmente, tem sido sinônimo de coragem nos tempos atuais. E eu vou continuar sem ter vergonha das coisas que são parte de mim, como esses textos.

Não tenha vergonha de você, dos seus bonecos de palitos, de gostar do Justin Bieber ou do Raça Negra (eu me amarro), não diminua a singularidade do próximo, nem venha com essas verdades absolutas de como tudo no mundo deve ser porque você não sabe! A vida não veio com manual, tudo isso que eu disse pode ser uma coisa incrível ou só uma imensa perda de tempo. Mas seja o que for eu não tenho vergonha, porque são minhas ideias e elas são parte de mim. Se um dia eu mudar de opinião também não terei vergonha.

Não sou a Dona da Verdade, nem pretendo ser. Não quero com esse texto dizer o jeito certo ou errado de viver, é apenas uma reflexão. Estou aqui escrevendo algo que tenho total liberdade em publicar. Me segue no instagram que eu fico lá falando essas doideiras também: sabrinandoblog.

Obrigada por me ler e seja um sem vergonha!

Por: Sabrina M. Lima