16 de mar de 2017

Ele era geminiano


Não foi de cara que ele me chamou atenção. O cara conhecia todos os amigos do grupinho que o acompanhava e tinha assunto com todos eles também. Na verdade parecia que todo mundo estava ali por ele e ele nem era o aniversariante do dia. Mas essa mesma capacidade de se comunicar e saber de todos os assuntos acabaram me conquistando com o tempo. Nem precisou de muito tempo. Ele era assim, de um dia para noite queria e pronto, cismou. Mas às vezes cismava e não queria mais.

É engraçado porque a maioria dos caras reclamavam do tanto que eu falava e esse amava. Porque a gente podia falar e falar uma noite inteira sem cansar. Nunca ficávamos sem assunto e por isso o sexo não era um momento tipo "não temos mais o que fazer/falar vamos transar". Não mesmo! Era incrível porque ele aprendia tudo tão rápido. Sabe quando a gente diz "é isso" e a pessoa para? Ele ouvia "é isso" então fazia várias vezes, em vários dias diferentes. Não só na cama, na vida em geral.

Em seu aniversários as pessoas o enchiam elogios e de fato ele merecia. Mesmo que não tivesse uma beleza dessas padronizadas, ele tinha centenas de admiradoras. Sabe aquele "parabéns" na timeline? Não existia, todo mundo que o parabenizava escrevia pelo menos umas 3 frases bem caprichadas. Também né... O cara é querido na faculdade, querido no trabalho, querido pela família, pelos amigos, pelas ex, por todo mundo. Nem sei como ele dava conta de responder aquilo tudo, mas ele dava. Porque não importa o que seja ele sempre dava conta do recado. Ah não ser que fosse algo muito difícil, dai ele desanimava um pouco, mas conseguia. Se ele precisasse aprender a matéria toda antes da prova em dois dias, ele aprendia. Ainda fazia tudo isso enquanto preparava um cachorro-quente e planejava a sexta. Sim! Inacreditável.

Não é como se ele fosse um robô. Ele tinha sentimentos, era bem fofinho e carinhoso. Apesar da sua sede pelo novo, ele curtia o velho também. Amigos antigos não eram abandonados, ele sempre arrumava um tempinho. É que ele era adepto da frase "viva hoje como se não houvesse amanhã" por isso essa vontade de aproveitar. "Dormir pra que?" ou "quando eu morrer eu descanso mãe". Eu o ouvi repetir essas frases bem mais de umas dez vezes. Num mesmo dia ele estudava, trabalhava, jogava bola e ia pra balada. Só de falar eu cansei e você?

Quando o conheci ele estava prestando vestibular e às vezes ficava frustrado com alguns resultados. Nada de drama. É que ele tinha uma necessidade de aprender mais sobre algo que gostava e essa coisa de "estar parado" o irritava. Quando conseguiu foi uma semana de comemoração. As poucas vezes que vi esse cara mal eu até me assustei. Como eu disse, ele não era um robô. Porém, não era todo tempo que ele se deixava levar por certos sentimentos. A solidão era o que mais o deixava abalado e por isso que demoramos um tempinho pra terminar. Ele definitivamente não curtia ficar sozinho e ter alguém pra curtir um domingão quando ele ENFIM ficava cansado era bom.

No fim, porque é incrível como coisa boa acaba rápido, ele simplesmente perdeu o interesse em mim. Eu não me senti "usada" como as pessoas gostam de dizer. Pera ai! Foi uma relação ótima, agregamos muito um ao outro. Tudo na maior reciprocidade e ninguém magoou ninguém. Foi só um dia em que ele acordou e pensou "poxa, não quero mais" e dessa vez foi definitivo. Tudo bem, eu superei e adivinha? Nós somos amigos, ainda nos falamos e virei uma das ex que manda textinho de parabéns não porque espero voltar, mas a porque a gente tem que reconhecer quando encontra alguém tão legal e que só nos fez bem. "Guardar mágoa pra que?" como ele dizia.