31 de dez de 2016

Para deixar em 2016 #Sabrinice5


Fui inspirada pela minha psicóloga a fazer uma listinha para o ano de 2017. Eu sou a menina das listinhas. Lista do dia (coisas pra eu não esquecer de fazer naquele dia), lista dos textos (com textos pra eu escrever pro blog ou ler pra aula), lista com o que eu gastei dinheiro, lista com o que eu não devo mais gastar dinheiro, lista com o que eu pretendo comprar, lista de coisas que eu não posso morrer sem fazer, lista de tudo mesmo. E lista de meta eu faço todo ano. Inclusive das dez que eu criei em 2016, não consegui 2 que foi viajar e meditar. Por isso amigos estou aceitando dicas paras as duas coisas.

A lista que ela me sugeriu fazer foram "as coisas que você pretende deixar em 2016" e não eu nunca tinha pensado nisso. Porque eu, particularmente, sou uma pessoa de mudanças, logo querendo ou não todo ano eu deixo coisas para trás. Porque não ter metas de coisas que você não quer além das que você quer? Serve de inspiração, serve de lembrança "eu era assim e não quero ser" ou "não quero ser 2016" (sabemos que esse ano vai render memes).


Nunca tornei pública nenhuma dessas listas, mas resolvi fazer diferente nesse finalzinho de ano que com certeza ainda promete. Então segue a lista para inspirar você ai amigo:

1. Insegurança

Passei anos e anos sendo a pessoa mais insegura que você respeita. Com tudo. Com o corpo, com o cabelo, com a cara, com as coisas que eu fazia (sempre achava dos outros melhores). E eu sempre fingi não ser insegura. Inabalável Mello. Muita gente fica surpresa quando eu falo que tinha 1 milhão de inseguranças porque eu não demonstrava. No passado eu tinha mais ainda, larguei muitas em 2015 e quero largar todas que sobraram em 2016.

2. Culpa

O bichinho da culpa gosta de me picar. E eu não estou falando culpa por coisas que realmente tenho culpa, porque ai até teria algum sentido, mas ainda assim não seria bom porque culpa não é bom. Mas eu sinto culpa por não ter arrumado a cama. Ou sinto culpa por não ter lido algo a tempo. Ou sinto culpa por não ter postado no blog. Sinto culpa por não ter cumprido 2 das minhas 10 metas. Não é o fim do mundo, não matei ninguém, mas eu me culpo.

3. Medo

Os principais medos que tenho são do erro e da reprovação (que tem tudo a ver com insegurança). Entrei na faculdade esse ano com medo do que iam pensar de mim, com medo de não ser o suficiente. E foi uma grande perda de tempo. Nada disso aconteceu, conheci pessoas ótimas. Realmente sempre vai ter alguém que não vai gostar de você e tá tudo bem. Já o medo de errar é um pouco prepotente né kirida? Todo mundo erra, vlw flw.

5. Raiva

Esse é um sentimento que vez ou outra nós temos, mas eu consegui sentir bem menos ao longo do ano e pretendo continuar assim durante meus próximos 80. Sabrina Zen.

6. Remexer no passado

Quando acontece algo ruim e você não consegue enxergar nada de bom nisso, simplesmente esqueça. (Exceto em casos de crimes, nesses procure a polícia.) Porque carregar coisas ruins do passado que não são úteis não vão te ajudar em nada. Carregar erros também não, carregar problemas sem solução também não. A gente tem que ter na mala tudo que é bom, tudo que faz bem, tudo que acrescenta e tudo que é necessário. O resto joga fora. Mala de coisa ruim pesa, já a mala de coisa boa te deixa leve.

7. Preguiça

Acho que isso deveria estar na minha meta desde que tenho uns 10 anos de idade. Porque outros 10 anos se passaram e eu continuo sendo a Sabrina Preguiça Mello. Então tchau preguiça, você não tinha nem que tá aqui linda.

Feliz ano novo!!