17 de nov de 2016

(Reclam)ações #Sabrinice3


Olá! Eu sou Sabrina, esse aqui é o meu blog que se chama Sabrinando e essa é uma série (não sei como chamar na verdade) de textos opinativos chamado sabrinices que não possuem verdades absolutas e que tem apenas a intenção de fazer refletir.

Quero falar sobre algo que muita gente faz e que é chato pra caramba: reclamar.

Ei você, já reclamou hoje? Conhece alguém que reclama o tempo inteiro? Olha eu já escrevi outros textos sobre isso, mas dessa vez resolvi abordar de um jeito mais informal. Dando um pouco da minha história de vida.

Reclamar é algo comum, acho até que é impossível viver uma vida sem reclamar de nada. A gente reclama porque reclamar é natural do ser humano. Todo humano reclama, você é humano. Logo você reclama. Gostando ou não é uma realidade. Mas não enxergo nenhuma necessidade em ser uma pessoa ingrata e que "reclama de barriga cheia".

Minha barriga estava cheia. Cheíssima! Estava CHEIA ATÉ O TAMPO. E eu reclamava de tudo, da escola, do sol, da lua, do trabalho, do vento, da terra, da água, dos signos, de simplesmente tudo. Quando eu olho para trás penso: como eu cheguei ali? O que foi que me aconteceu pra eu ficar tão desesperadamente de mal com o mundo? E como eu consegui ser tão ingrata?

Não havia nenhum motivo externo que fosse causador disso, estava tudo dentro da minha cabeça. Meu trabalho e minha escola da época eram ruins de fato, mas não valia a pena viver com uma nuvem negra em cima da cabeça por isso. Chegava ao ponto de ser realmente ingratidão. Afinal quantas pessoas precisam de um emprego e não conseguem? Quantas pessoas gostariam de poder estudar e não podem? Eu tive essas duas oportunidades e ganhei com as duas. Por que reclamar? A resposta que eu consigo pensar é a soma de ingratidão com mal hábito. Pois sim, reclamar vira um hábito se você deixar seu cérebro no piloto automático.

Reclamar do tempo é uma das coisas mais absurdas. Você tem o poder de fazer sol ou chuva? Então pra que perder seus segundos de alegria se irritando por algo que nem ao menos está ao seu alcance? Seja um pouquinho racional e perceba o quão inútil é vociferar "Não suporto sair em dias chuvosos, odeio chuva!"ela é necessária você odiando ou não, ela vai continuar caindo independentemente da sua vontade.

Seja grato com as coisas e as pessoas que te cercam. A sua casa pode não ser a mais bonita, mas é a sua casa. O seu quarto pode não ser decorado igual a de uma blogueira famosa, mas você tem um. Um dia bonito pra você pode ser o dia nublado, mas o céu azul é lindo pra outras pessoas, você não pode ser o único agradado. É normal querer mudar (eu AMO mudanças), é normal querer crescer e modificar sua realidade, mas esses desejos não precisam menosprezar o que você já tem.

Outra coisa importantíssima a dizer é: se você não vai mudar, não reclame. Essa é com certeza uma das tarefas mais difíceis. Mas se você não vai varrer o chão, não reclame por ele estar sujo. Se você não junta dinheiro (quando tem a possibilidade de fazê-lo) não reclame por estar no vermelho no fim do mês. Há anos repetem o famoso "a gente colhe o que a gente planta" e se você plantar sacanagem amigo, vai colher solidão.

Às vezes não tem outro jeito. Você vai reclamar e tudo bem. Só não precisa reclamar todo dia, toda hora, todo tempo e por tudo. Eu digo isso como alguém que se curou da doença que é reclamar. Pense mais quando você for dizer algo e se livre daquilo que te incomoda com ações não com reclamações.

Como eu disse no Sabrinice #1 não sou a Dona da Verdade, nem pretendo ser. Também não quero com esse texto dizer o jeito certo ou errado de viver, é apenas uma reflexão. Estou aqui exercendo meu direito de internauta (e esse linguajar de tiazona?) em escrever algo que não infringe nenhuma lei e por isso tenho total liberdade em publicar.

Obrigada por me ler e não reclame!