13 de nov de 2016

Eu vivi um filme


Nós tivemos aquele relacionamento lindo que as pessoas idealizam e chamam de "perfeito" às vezes. Nós nos conhecemos bem novinhos, namoramos durante seis anos, tínhamos planos de casar e nossos futuros filhos já tinham nomes. Quase todas as nossas primeiras experiências foram juntos, algo que sempre que contava ouvia as pessoas dizerem "ai que lindo, parece um filme". Mas conhece aquela velha frase "nem tudo que reluz é ouro"? Nosso relacionamento também não era. Nenhum relacionamento é perfeito.

Se você acha que seu relacionamento está ruim por uma briga, você não sabe o que é relacionamento. Se você acha que um relacionamento que quase não tem brigas é ruim, você também não sabe. Eu não tenho doutorado no assunto e não é preciso pra saber o básico. É só ser atento e observar os relacionamentos que dão certo a maior parte do tempo. E eu digo "maior parte do tempo" porque é possível terminar algo que deu certo anos e depois parou de dar. Acontece de algumas relações serem só de pontos negativos, mas precisamos aprender com elas para não vivermos outras assim.

Gostaria de desconstruir também a ideia de que só o primeiro é o melhor. As pessoas que casam só depois do quinto relacionamento não estão "atrás" daquelas que casaram com o primeiro. O mesmo eu digo sobre virgindade. Essa fantasia do casal jovem que perde a virgindade junto é muito mais lindo e romântico do que quando um deles não é mais. É tudo lindo se é da vontade dos dois, é tudo lindo se é com respeito. É isso que importa na verdade. Não existe esse "casal de filme" na vida real. Porque o casal de filme já sabe o que acontece com eles no final, tá no script. A vida real é uma surpresa diária.

Eu nunca imaginaria terminar aquele relacionamento. Aos meus vinte e dois anos, faltando pouco para completar sete anos de namoro e eu vi que aquilo não fazia mais sentido. Eu namorava alguém porque eu namorava esse alguém há seis anos. Porque ele era perfeito. Porque nós dois éramos perfeitos juntos. Não, não foi sempre assim. Teve paixão, teve amor e de ambas as partes. Mas com o tempo virou comodismo. Estávamos acostumados com o nosso relacionamento de filme e as pessoas acostumadas com nós dois sendo um. Era comum me encontrarem sem ele e me perguntarem onde ele estava. Antes eu não ligava, mas quando o fim foi se aproximando isso começou a me frustrar.

Existe um ideal de término também. Mas esse varia um pouco mais. Algumas pessoas tem o ideal como terminar com a pessoa e nunca mais na vida se falarem ou chegar perto um do outro, excluir de todas as redes sociais, apagar fotos e fingir que a pessoa nunca existiu. Outras querem ser amigos e levar tudo numa boa. Acredito que seja questão de personalidade e mais uma vez defendo que o respeito seja mantido. Nós dois seguimos o segundo caminho. Na verdade eu fiquei chocada em perceber que ele sentia as mesmas coisas que eu. Ele até disse "parece que somos só amigos" e isso era tão verdade que me senti mal por ser tão passiva.

Terminamos num dia lindo de sol no período de férias. Não nos falávamos todos os dias como antes. Foi difícil isso, assim como foi difícil acostumar a ficar sozinha nos finais de semana e o pior de tudo era ter que dizer a mesma coisa três vezes porque as pessoas simplesmente se recusavam a acreditar que tínhamos terminado. "Como assim?!" "Vocês eram LINDOS juntos!". Eu tentava consolar elas dizendo que estava bem. Mas tenho quase certeza de que elas achavam que eu estava mentindo. Deixei o tempo cuidar da dúvida delas.

Dois anos se passaram e eu continuo solteira. Não por promessa ou porque espero voltar. Na verdade o Luís até já tem outra namorada e eu acho que eles formam um casal bem mais lindo do que nós éramos. É que na verdade eu não estou a procura de ninguém. Sempre estive esperando por um relacionamento, até viver um ótimo, maravilhoso e que teve um fim bacana também. Acho que estou satisfeita. Acho que um dia eu posso voltar a namorar e quem sabe casar. Mas agora eu estou perfeitamente bem do jeito que estou e mais uma vez tem gente achando que essa frase é mentira. Fazer o quê?