7 de ago de 2016

Um diálogo qualquer


-Eu não sou ele. Você tem que entender que eu não sou ele Vitória.

-Eu não disse que é. Disse que está agindo igual.

-Mas que merda! Eu não to agindo igual, eu to agindo como qualquer um agiria.

-Tá vendo? Tá vendo como tudo isso gira em torno dele?

-Eu to! MAS A CULPA NÃO É MINHA!

-Gustavo, olha só... Eu ter-mi-nei com o Junior porque eu não via mais motivos pra ficar com ele. A gente não dava mais certo. Na cabeça dele a gente dava, mas ele tá errado. Eu sei que é insuportável quando ele vê a gente e fica querendo puxar assunto. Eu odeio que ele me ligue, já to quase trocando de número. Mas porra eu não controlo ele. Infelizmente eu namorei com um maluco e não fazia ideia!

-Ele é pior do que maluco. Você deveria sei lá, denunciar ele. Ou... Não sei.

-Ou deixar você dar uma de fortão e bater nele?

-Não, eu sou contra violência. Mas fico puto. E fico mais puto ainda porque ele vem fazer as graças dele e você quer que eu ache isso normal. Porra não dá! Não tem como.

-Eu sei que é chato.

-E você me compara com ele. Ele era doente de ciume por você. Porque ele é um babaca. E porque eu sou muito gato também, ai ele sabia que ia perder você pra mim.

-NOSSA! Que engraçadão hein Gustavo.

-Ué, você não quer comédia?

-Para, você não tá brincando. Você realmente quer que ele pense que "me perdeu" pra você. Como se eu fosse dele...

-Não assim desse jeito. Você era namorada dele, não um objeto. Você sempre distorce o que eu digo. Enfim, agora você é MINHA namorada e eu sou SEU namorado. E ele perdeu esse título sim e perdeu pra mim.

-Porque você é gato.

-Sim, porque eu sou gato e gostoso.

-Você é ridículo!

-E você é apaixonada por um ridículo. Logo você também é ridícula.

-Gustavo?

-O quê?

-Não precisa ter ciume do Junior tá?

-Eu sei. Não tenho. Eu confio em você.

-Então tá bom. Espero que você não tenha mais nenhum ataque.

-Não tive ataque!

-Então tá.

-Olha só Vitória, você não começa.

-Começar o quê?

-Você começa a dizer que eu fiz coisas que eu não fiz. Eu só estava desabafando sobre o meu GRANDE incomodo a respeito desse cara babaca.

-Sim. Eu entendi.

-Então pronto.

-Chega agora desse assunto?

-Só quando você admitir que eu te conquistei porque eu sou muito gato.

-Você é um ridículo mesmo.