27 de jun de 2016

Mergulhar no amor


Acho que comecei a escrever sobre você assim que descobri minha paixão também por você. E tenho que admitir que foi uma das coisas mais incríveis que poderiam ter me acontecido. Depois de você tudo teve um novo gosto. Não porque você me fez mudar. E sim porque você me inspirou a ver o mundo de uma maneira diferente.

Demorei a aceitar essa verdade atual de que só as pessoas corajosas amam. Acho que isso começou a pouco tempo. Por que há medo no amar? O que pode acontecer de tão ruim além do não amar? Sofrer por amor dói e daí?

Antes de você eu já me apaixonei por outros caras. Meus relacionamentos com cada um deles foi profundo, foi intenso, assim como acredito que deva ser. Mas felizmente ou infelizmente acabou. De uma certa maneira eles me fizeram caminhar na sua direção. Encontrar você foi o mesmo de encontrar a direção para ser quem eu sou. Quem eu sempre fui e nunca consegui ser. Eu sou com você.

O amor me trouxe dor, o amor me trouxe paz. Como um sentimento tão surpreendente pode despertar medo? O amor me trouxe alegrias, o amor me trouxe dúvidas. Como um sentimento que é tão único para cada um que o sente pode despertar medo? O amor me trouxe diversos aprendizados e me trouxe o amargo da vida. O amor me trouxe raiva, me trouxe arrependimentos, me trouxe a vontade de ir embora. O amor me trouxe sabedoria pra entender as coisas ruins que ele me trouxe. Amar me trouxe vontade de viver, amar me trouxe uma maneira diferente de enxergar o mundo. E eu não sinto medo.

Embora você seja medroso, não se negou em pular nos meus braços. Você sabia que eu poderia não te aguentar. Você sabia que eu poderia segurar durante um tempo e num momento a dor me faria largar. Mas você não teve medo. Mesmo ouvindo por ai "somente os corajosos conseguem amar". Você não fez porque sentiu-se desafiado. Você só fez porque era eu.

Arrisco-me a dizer a diferença entre você e os outros que passaram na minha vida. Aqueles outros que eu disse que amei. A maior diferença é que quando eu digo "amor" eu lembro do seu nome. Não é um sentimento incolor, insipido nem inodoro como a água. Pra mim o amor tem a cor da sua pele, o sabor do seu beijo e o cheiro do seu xampu. Eu nunca senti algo assim por ninguém.

Nós não somos corajosos por mergulhar no amor porque nunca pensamos que nos afogaríamos.