17 de jun de 2016

Ela



Hoje é sexta e eu só estou esperando você chegar. Como quase todas as sextas nós nos encontramos e matamos a saudade de ficarmos juntos. Aquela saudade que se acumula durante toda a semana e que nos motiva a fazer tudo adiantado, para que o final de semana seja nosso. Para usarmos dele o máximo possível. Para esquecermos do resto do mundo.

Quando abro a porta e vejo seu rosto, quase sempre  fazendo uma careta boba, é impossível não sorrir. Então você entra na sala e espalha seu perfume. Espalha sua risada. Conta tudo que aconteceu no dia, na semana e faz piada vez ou outra com os desastres que como diz "só acontecem comigo". Eu fico ouvindo tudo enquanto cozinho algo que é meio pronto e meio feito por mim. Gosto de dar meus toques especiais.

Nos dias de calor você não faz a menor questão de usar muita roupa, afinal somos só você e eu. Mas nesses dias frios, como hoje, você fica toda fofa enrolada num cobertor andando pela cozinha e falando. Às vezes da uns pulinhos "é só pra espantar o frio" e ri de si mesma. Nunca vou me cansar desse seu jeito. Da forma como você se diverte fácil, acha graça de tudo e mesmo assim exige que eu te leve a sério quando fica brava e quer discutir. Não tem como.

Você não é comum como as outras que eu conheci. Olha que eu já tive muitas namoradas. E eu sei que você odeia que eu diga isso. Mas eu tive, fazer o quê? Você demorou muito pra vir me conhecer, então eu fui obrigado a me deitar com outras e ter uma vida bem triste e sem graça se comparada a hoje. Já disse que também não gosto do seu ex. Na verdade não sei como você conseguiu gostar dele, provavelmente foi um momento muito carente. Tudo bem, estamos juntos agora. Eu sou muito mais bonito.

Muita gente não gosta dessa rotina de casal. De trabalhar a semana toda e no final de semana curtir um filmaço escolhido a dedo na Netflix. E eu me pergunto: por quê? Ficar assim é tão bom. Não correr atrás de ninguém em balada ou ficar tomando toco. Pior ainda é aguentar joguinhos. Não gosto de joguinhos. Depois reclamam da carência do domingo a tarde. Ou de não ter com quem conversar. Eu tenho tudo isso e gosto de tudo isso. Digo mais: não trocaria nada disso pra voltar a ser solteiro.

Vou continuar sendo um romântico à moda antiga da música do Roberto Carlos, meu bem. Eu ainda te farei declarações depois de algumas taças. Terei pena de te acordar mesmo quando você estiver muito atrasada. Ficarei bobão quando falar de você ou quando alguém disser "vocês combinam mesmo!" numa conversa dessas de bar. Não aprendi a ser de outro jeito, mas esse jeito que eu sou com você é do caralho. E tudo isso que a gente tem junto é mais do caralho ainda.