10 de jun de 2016

Café e caipirinha


O mundo e a vida estão longe de serem perfeitos ou fáceis. As coisas tem melhorado um pouco. Infelizmente não para todos. Mas agora com mais informação as pessoas tem mais acesso ao que acontece dentro e fora do país. Enfim, estamos evoluindo devagar, mas estamos. Eu acredito que isso tem feito as pessoas pensarem que podem ter tudo. "Quando eu terminar a faculdade eu posso ter tudo." "Quando eu arrumar um emprego eu posso ter tudo." Isso é bom até certo ponto. Até o ponto que não foge da realidade. Até o ponto em que são maduros para entender o significado das escolhas.

Acreditar no impossível é um dom de poucos. A maioria desiste no primeiro obstáculo. Alguns até passam do primeiro, mas os que chegam até o fim são raros. Ter essa característica pode te levar a realizar grandes feitos. Você pode alcançar seus sonhos, os dos seus pais e construir muita coisa boa.

O que tenho percebido é que cada dia mais tem gente esquecendo que escolher é renunciar. Percebo isso com os casais da atualidade. Querem um amor-eterno-desde-a-infância-para-toda-vida e ao mesmo tempo querem sair para baladas, pegar todo mundo e ter diversas experiências. É ai que fogem da realidade e jogam todo o significado da palavra "escolha" no lixo.

Vejo pessoas que querem viajar o mundo, ter casa própria, carro e não conseguem ter dinheiro pra pagar as contas do mês. E essas mesmas pessoas não gastam pagando só as contas essenciais de água, luz, gás e telefone. Elas gastam comprando celulares recém lançados, saindo todos os finais de semana e fazendo tudo que se tem direito as custas do cartão de crédito. Falta de controle total para organizar a própria vida. Mas acreditam que vão conseguir ter tempo e dinheiro pra realizarem tudo que querem, mesmo sem planejar nada. Vivendo sem saber se terão dinheiro para o almoço do dia seguinte.

É o que dizem "não deixe a felicidade para amanhã". Não espere ter a carro para ser feliz, não espere se formar para ser feliz. Mas não viva feliz hoje sem saber se terá como ser feliz amanhã. A vida não precisa ser uma eterna preocupação (não mesmo!). Também não precisa ser descontrolada. É possível equilibrar o curtir de hoje com a graninha que vai pra poupança amanhã. É possível ter muitas experiências diferentes com o mesmo parceiro(a).

Parece um vício isso de querer viver tudo até os trinta. Como se depois dos trinta não houvesse vida. É loucura pensar e planejar o futuro esquecendo do presente. Mas com certeza não é saudável usar da sorte pra conseguir o que quer. Você quer ir pra uma universidade pública sem estudar nada nunca? Desculpe, você não irá. Você quer ter carro, casa e uma vida independente aos trinta sendo que agora aos vinte e tantos você não consegue guardar dinheiro pra comprar um tênis? Desculpe, você não terá.

O mundo pode ser rosa. A gente pode curtir tanto, aproveitar tanto, sair tanto. Mesmo não recebendo milhões por mês. Faz parte ser louco numa noite. Mas no dia seguinte você precisa voltar a sua vida normal. Voltar as escolhas que você fez, aos planos que tem, as metas que quer traçar. O segredo de equilibrar entre o doce e o amargo da vida é você quem tem. Use o açúcar nas caipirinhas, mas não esqueça dele no café das segundas.