2 de mai de 2016

Perfeito é ter defeito


Esse título pode confrontar a definição do dicionário, mas acredite é verdade. Somos um conjunto de defeitos e qualidades únicos. E esses dois grupos não são estáveis. Quando nós mudamos, esse conjunto muda consequentemente. Temo que considerar também que nem tudo que nós achamos defeituoso é considerado assim para o outro.

Eu particularmente, acho um defeito ser ciumento. Porém, tem pessoas que acham isso fofo. Não me considero a certa ou que os outros estão. São opiniões diferentes e o que tem faltado nesse mundo, principalmente na internet, é respeitar as opiniões diferentes das suas. E agora? Eu odeio quem é ciumento? Não eu não odeio, afinal sou um pouco ciumenta. Mas é algo em mim que eu tento mudar simplesmente porque EU não gosto.

Algumas pessoas acham que ser sincero é uma das melhores virtudes do ser humano. Eu concordo e discordo. Ser sincero é ótimo quando você fala com alguém que aceita tudo. Caso contrário o Sr. Sincero vai cair em incontáveis brigas motivadas pelo emocional frágil das pessoas "atingidas" pelo poder da sinceridade. Claro que estou falando de pessoas sinceras educadas e respeitosas, não grosseiros que trocam boca por cu. É que os seres mais sinceros costumam ir direto ao ponto e insisto em dizer: tem gente que não aceita ir direto, tem gente que precisa de um caminho mais longo.

Essa relatividade é válida também para o exterior das pessoas. O meu "padrão" de beleza é diferente das outras pessoas. Claro que tem gente nessa ainda de que "tem que ser" loiro, alto, olhos azuis, magro-definido e de cabelo liso. MAS tem muita gente que se amarra numa gordinha. Ou que não larga mão de uma mulher de cabelo curto. Nesse quesito são tantas variações, tantas, mais taaaaaantas que não cabe em texto, não cabe em livro, simplesmente não cabe em lugar nenhum definir. Muita gente vai te achar bonito e outras -na mesma proporção ou não- vão te achar feio. E só pra constar: o que elas pensam não faz diferença.

Eu também já tentei "consertar" meus defeitos e desisti porque é simplesmente impossível. Não vou parar de ser ranzinza, irritadinha, ansiosa, preguiçosa, dramática, exagerada e tudo mais. É um fato que não devemos deixar a opinião dos outros ser tão influente no que somos. E volto a apertar a tecla de que nós mesmos devemos parar de julgar tanto os outros. Seja personalidade, atitudes, qualquer coisa. Sendo algo bom ou ruim não cabe a nós dizer. Não cabe a nós ditar a forma correta de um ou outro viver. Não gosta de algo? Não faça desse jeito, não viva desse jeito, não fale desse jeito. Mas se o cara da esquina gosta e, como eu sempre digo, não está infringindo a lei nem ferindo alguém de nenhuma forma. Então tudo bem. Pode relaxar. Não precisa apertar o botão vermelho pra ele. Procure a sua felicidade e deixe a dos outros em paz.