4 de mar de 2016

Calar-se


Calar-se por vezes é o melhor que temos a fazer. Digo isso mesmo sendo uma pessoa muito faladeira e que ama comunicação. É o tipo de coisa que aprendemos e não podemos esquecer.

Não estou aqui pra dizer que nunca briguei e disse mil verdades na cara de alguém. Na realidade acho que a verdade nunca é demais. Eu sei que ela magoa, mas não mata. Somos fortes para ser do jeito que somos e fortes para fazer o que fazemos, logo temos que ser forte para ouvir as verdades relacionadas a nós. Mas como eu disse: ouvir VERDADES, não qualquer besteira que magoará propositadamente. O problema é que às vezes não adianta falar, pois algumas pessoas ouvem, mas não escutam.

A gente percebe que, em certas ocasiões, não vale a pena o nosso gasto de energia. É melhor deixar passar, se afastar e ver se com o tempo elas aprendem. Se não aprenderem, nada podemos fazer. Não dá pra abrir a cabeça de alguém e enfiar informações dentro, aprendizados, maturidade então... A solução é não fazer nada e esperar que com o tempo esse alguém abra a cabeça sozinho.

É difícil ter essa percepção de fazer silêncio quando se quer gritar. De deixar a pessoa quebrar a cara quando você quer dizer algo, mas sabe que ela não escutará. De não ser levado pela raiva quando você fica perplexo com as coisas que alguém diz ou faz. Mas é importante tê-la. Cá entre nós, o mundo está perigoso demais pra sair explodindo em cima de todo mundo por ai.

Vão haver dias em que iremos nos descontrolar e falaremos tudo o que temos em mente. Não somos máquinas. Vão haver dias em que alguém nos dirá em silêncio, ou aos berros, o que fizemos de errado. E depois? Algumas pessoas até mudam, outras preferem continuar sem escutar. É você quem decide qual das duas pessoas será. Assim como só você escolhe calar-se ou gritar feito louco.

Conheço o ditado "se conselho fosse bom, não se dava, vendia-se". Mesmo assim arrisco a dar uma "dica". Observe as pessoas que valem a pena. Pessoas que fariam por você o mesmo que você faz por elas. Não faça nada esperando algo em troca. NADA! Mas quando fizer por alguém e esse mesmo alguém te devolver com ingratidão, repense se fará novamente. Eu sei, eu sei. Temos que ajudar o próximo, mas como eu disse: não somos máquinas. Muitas vezes é escolha nossa sofrer. Decida por não sofrer quando possível for. Decida estar perto de alguém que só te queira bem e queira o bem desse alguém também. Não mova montanhas por quem não chuta uma pedrinha por você. Cale-se quando souber que se falar dará no mesmo.