14 de nov de 2015

Mudanças


Eu nunca fui verão. Sabe essas coisas de alto astral, bom humor, alegria, disposição, vontade de viver, sorrir pro céu azul, comemorar que tem sol pra ir a praia, rir demais, otimismo, positividade, natureza e coisas do tipo? Então, eu sempre detestei todas elas.

Eu sempre fui do inverno. Isso de passar o dia embaixo das cobertas, ter preguiça das coisas, das pessoas, odiar a realidade, amar a fantasia, os dias nublados é que são bons, as músicas deprês que combinam, a fácil irritabilidade, estresse contínuo, mau humor e blábláblá. Sabe essas coisas que você só faz porquê não está pensando antes de fazer? Então, eu fazia todas elas.

Aprendi uma palavra bem legal e que me define bem, volúvel. Significa inconstante, que muda fácil de ideia. Ora se não é a minha cara! As mudanças da minha vida foram todas de maneira aleatória, como a maioria das coisas que acontece no mundo. Entretanto dessa vez eu resolvi mudar por conta própria. Eu quis sair do meu inverno, mas seria gradual. Nada de revoluções por aqui.

Em pouco tempo eu fui outono. Mais amena, tentei coisas novas e usei um pouco das velhas. Todo mundo muda, mas a essência sempre permanece. Eu sabia que não deixaria de ser de lua, só que afinal eu só tinha testado duas fases dela. Tive a fase de me esconder, tive a de experimentar um lado só e agora eu queria ser completa.

Quando a minha primavera chegou acho que muita gente não acreditou. Alguns questionamentos foram feitos, mas eu já esperava por isso. Eu só queria ser eu mesma e sem me preocupar com os pensamentos alheios. Embora ainda me preocupe não é possível comparar com o antes.

E agora conhecendo todos os meus lados, todas as minhas fases, saber do que eu sou capaz e que o céu é o limite, sinto até vontade de ver o sol!

Faço tempestade, mas também sei florescer.