17 de out de 2015

Vida séria


É impressionante como coisas tão bobas ganham proporções incabíveis. Adolescência é uma época conturbada. E não importa a sua cor, crença ou região do planeta, é impossível discordar dessa afirmação. Nessa fase tudo pode ir do lixo ao luxo ou vice versa. Um período de paradoxos.
Amizade, por exemplo, é algo levado ao extremo. Não que isso seja errado, entretanto pra que levar a vida tão a sério? Já é mais certo que o brilho do sol que as pessoas vem e VÃO. E tão certo como 2+2=4, essa mania de dizer "para sempre" é só pra fazer com que algo não aconteça, de fato, até o sempre. Quase um karma.

Se ser amigo é problema, ser melhor amigo é ainda pior. Pelo menos pra mim, que sempre tive essa ideia de ter um melhor amigo. Alguém que pudesse ser como irmão e que faríamos tudo juntos. Mas pra quê? Qual a razão disso? Eu deveria ter sido minha melhor amiga a mais tempo e assim descoberto o tanto que descobri antecipadamente. Mas eu já entendi que tudo acontece no seu tempo e que não adianta olhar pra trás querendo voltar pra mudar o passado.

Vivo em um desafio diário tentando enxergar o lado bom das pessoas, dos acontecimentos e da vida. É mais saudável pensar que foi bom enquanto durou a chorar inconsolavelmente por uma despedida. Fins deveriam significar novos começos. Términos deveriam significar novas chances de fazer algo ainda melhor. Sem mágoas, ódio, sem cultivar quaisquer outros sentimentos destrutivos. Sem drama, sem tempestades em tampas de xarope. Enfatizando o bom, reconhecendo erros, mas sem fazer destes um Apocalipse. Ser leve e levar a vida menos a sério. Preocupando-se apenas em ser feliz por um período mais longo possível.

Eu também já entendi que mudança é sinônimo de aprendizado. E mudar não só quando vira o ano, mudar a vida inteira. Aprender a ser melhor. Aprender a ser leve. Aprender a viver as aventuras da vidas. Sempre lembrando que depois do fim, existe o recomeço. E se não houver foi bom enquanto durou.

Há momentos da vida em que precisamos agir com seriedade, chamam isso de "ser adulto". Mas quem é que nunca ouviu a frase "veja o mundo com os olhos de criança"?